segunda-feira, 25 de junho de 2018

Talapa diz a Verdade toda?

Parece que a morte do esperançoso Amurane me tirou o gosto da partilha neste ambiente.
Quantas coisas entretanto se passaram em Moçambique!

O terrorismo em Cabo Delgado tem sido assustador. A longa entrevista de Amade Camal (SAVANA) deixou-me, finalmente, mais esclarecido mas não mais tranquilo. Agradeço ao Dr Camal tanta lucidez e tanta coragem esclarecedora.

Volto hoje, provocado pela triste situação da ameaça que a recusa da Frelimo em manter a sessão extraordinária da AR me parece significar.

Segundo os jornais não regimentais e livres de Moçambique - o calcanhar de Aquiles na resolução do pacote militar com a Renamo estaria na recusa do SISE em aceitar a integração de pessoas da Renamo como em qualquer outro dos ramos da Forças Armadas e de Segurança. Creio ser evidente que quem constitui o tropeço para resolver o sector militar do Diálogo, é, mesmo, a Frelimo cujos SISE se recusam a cumprir, também agora, tal como aconteceu desde o AGP-Roma 1992, o famoso Protocolo IV, Esta a razão por que, o saudoso Arcebispo da Beira, Jaime Gonçalves, continuava a acusar os militaristas do governo pela trágica situação de hostilidades militares que antecederam e se sucederam às eleições gerais de 2014.

Fiquei, perplexo quando comecei a ouvir os zuns-zuns de que a dita sessão da AR ia ser adiada sine die. Fiquei estupefacto e mesmo indignado quando, por acaso, vejo surgir na TV, Margarida Talapa com a sua cassette partidarista do costume, a exigir que a RENAMO avance unilateralmente na sua desmobilização sem o cumprimento integral do que consta no AGP-1992-IV.

Acho que esta mulher deveria ser proibida de abrir a boca em coisas tão sérias que põem em causa a vida de todo o País. E que ela se mantenha em funções institucionalmente tão relevantes é um péssimo sinal dado pela Frelimo de Nhussi. Razão tinha já o Pro. Lourenço do Rosário, quando, há anos a qualificou... (Claro que não repito aqui o que ele disse dela numa entrevista a um jornal livre).

O jornalista Tomás Vieira Mário nos Pontos de Vista da STV também me surpreendeu porque nem por uma vez quis referir o assunto até ao fim, tecendo, repetidamente as mesmas razões, como se só a RENAMO tenha a solução do problema. Vieira Mário, sabe ou não o que os jornais disseram nestes dias do SISE a este respeito? Tratando-se de aautoridade tão importante neste país no que à informação diz respeito, esperava que fosse ele a destruir todas as minhas dúvidas. Mas não quis.

É evidente que todos desejamos neste país um só exército apartidário. Mas consegui-lo-emos se a Renamo e deixar engolir, de novo, pelos hábeis falcões da Frelimo que tudo ordenam, até agora nas FADS?

O ex-frelimista e ex-MDM - António Frangoulis, apareceu há não muito tempo, nos media, emitindo a opinião de que se a RENAMO se deixa desmobilizar militarmente, vai ser, de novo, enganada pela Frelimo.

Na lógica deste raciocínio, foram as armas da Renamo, o único Partido do mundo com forças armadas "no mato" e assento no Parlamento, que forjaram a presente e esperançosa caminhada constitucional rumo a uma mais sadia democracia.

Qual será o cidadão que não deseja que a Renamo se desmobilize, integrando-se, não só socialmente como a Frelimo nestes dias insiste em dizer, mas também, institucionalmente, segundo reza o Protocolo IV do AGP-Roma 1992, com os seus homens e mulheres, em todos os ramos da FADS?

Portanto, queira a Frelimo de Talapa cumprir o que estava acordado há 26 anos, e os problemas estarão, aparentemente, resolvidos. Mas seja honesta! Diga as verdades todas e não só o que lhe apetece puxando "a brasa - só - para a sua sardinha".

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Amurane - Símbolo de Dignidade Política

 



Mahamudo Amurane 

Silenciada uma voz contra corrupção 

e a má governação

O edil da cidade de Nampula foi morto a tiro no dia 4 de outubro de 2017.
Insurgia-se contra a má gestão da coisa pública e a corrupção no seu Município.
Foi eleito para o cargo de edil através do partido MDM.
Embora mais de sessenta pessoas já estejam a ser ouvidas pela justiça não se conhecem os autores do crime.
(Cf em http://www.dw.com/pt-002/nampula-crise-pol%C3%ADtica-faz-aumentar-casos-de-amea%C3%A7as-%C3%A0-liberdade-de-imprensa/a-41642513?maca=pt-WhatsApp-dw)


*****
Desde que, pelas 20 h de Moçambique, recebi, naquela noite, a chocante notícia do hediondo crime do assassinato do jovem e dinâmico Presidente Mahamudo Amurane, bailam na minha cabeça e no meu coração as palavras mais contraditórias.

Apenas deixarei aqui uma frase que mais me golpeia e aos meus sonhos de 49 anos (os que levo nesta terra moçambicana): "É África, Zé!"
Já a ouvi muitas vezes. Mas desta vez, saía da boca de um padre em cuja paróquia eu acabava de celebrar a memória da crucifixão e da ressurreição de Jesus, onde inseri esta Páscoa do nosso muito querido e amigo Presidente Amurane.

Em Lisboa, onde me apanhou esta tristíssima "páscoa" (insisto nesta palavra regeneradora da nossa dor) celebrei, partilhando com as comunidades das igrejas onde passava, este inaudito desafio:

"quem empunhará a bandeira de todos os valores por que Amurane se bateu e o levaram ao holocausto?"

Já no Maputo, de regresso à terra que bilateralmente nos adoptámos, faço das tripas coração para registar aqui, neste espaço visitável por muitos amigos e amigas, memória do Jovem Político que a todos desafiou desassombradamente.

Com a devida vénia, e para conter a emoção pessoal que, apesar dos dois meses passados ainda me domina a alma, utilizo palavras que entretanto me chegaram de pessoas notáveis ou quase anónimas que fui recebendo e que somadas, se aproximam da expressão dos sentimentos  das multidões órfãs de Nampula e dos combatentes da Liberdade que não queremos baixar os braços, liderados por essas palavras que no 1º momento logo me invadiram a alma:

"Por cada flor estrangulada,
 há milhões de sementes a florir" 
(João Apolinário, no tempo do colonial fascismo de Salazar)

ASSSSASSSINOS!!! 😢
Nunca senti tanto com a morte de um governante...
Como faca afiada penetrou em mim a Notícia...MATARAM AMURANE!
 

Dia 04 de luto, Dia 04 de terror, dia 04 de vergonha...  


Mataram um pai de família, um filho, um irmão, um amigo, um líder que muito se identificava com seus Munícipes... 
Mataram o sonho, a esperança de uma Cidade inteira e não só;
Mataram um modelo para Sociedade Política, 
 

Mataram as pontes construídas, 
Mataram as praças reabilitadas, 
Mataram as estradas e as ruas limpas, 
Mataram os machimbombos que transportavam-nos para todos os cantos da Cidade, 
Mataram o ar puro que se fazia sentir em Nampula, 
Mataram a saúde pública,
 

Mataram o emprego de muitos conterrâneos nossos... e mataram muito mais!!
Mataram-no?!!?
Porquê?? Porquê?? Porquê fizeram isso??
😢
 

Mataram-no para governar quem???
O terror? Os assassinos?? Os corruptos? Os desumanos?? A vergonha? Os egoístas?? O lixo?? A covardia?? Os insensíveis??
Porquê?? Porquê ?? Porquê?? 

Aqui ficam apenas dois dos muitos desabafos de dor e saudade que continuam a fluir dos corações de quantos tinham uma genuína e sadia esperança de autonomia local e de liberdade sem restrições